Especialista aponta os 5 momentos mais bizarros da eleição presidencial de 2018
14/11/2018 11:26 em Novidades

No futuro, os historiadores terão certa dificuldade para falar dos fatos que ocorreram durante as eleições em 2018. Durante o processo eleitoral, em todas as esferas, tivemos surpresas e novidades que mudarão a forma de fazer campanha política para as próximas eleições, bem como, as estratégias de marketing político e a utilização da internet para atrair eleitores.

 

Os cinco momentos mais bizarros da eleição presidencial de 2018

Pedi aos seguidores do meu perfil no Instagram para que enviassem os momentos mais bizarros ou desconcertantes e o resultado está logo abaixo. No melhor estilo “Top 5”.

 

5. Candidato esfaqueado

Nunca antes na história deste país tivemos um presidenciável esfaqueado, o que ocorreu com Jair Bolsonaro, ainda no primeiro turno, o que tirou o candidato das ruas e dos debates. Cabe lembrar que já tivemos um que foi vítima de desastre aérea, Eduardo Campos, mas não me recdordo de alguém deliberadamente atentar contra a vida de um candidato.

 

4. O apoio amigo de Cid Gomes à Haddad

Constrangedor é um termo que não explica o que aconteceu durante um evento em favor de Haddad, no segundo turno. Nele, Cid Gomes resolve manifestar seu apoio de forma crítica e contundente. Ao responder a um militante, sobrou até para o ex-presidente Lula: “O Lula tá preso, bacaca”. Imperdível.

 

 

3. A preparação de Álvaro Dias para os debates

Os debates televisionados representam os momentos mais delicados de campanhas majoritárias. O realizado pela Globo é, sem dúvida, o mais importante do calendário dos debates. Em diversos momentos, o presidenciável Álvaro Dias mostrou um comportamento “inesperado”, como o que pode ser visto no vídeo abaixo.

 

 

2. No meio do caminho havia um monte

Em uma eleição completamente surreal, uma figura ímpar tomou conta das conversas de bar, Cabo Daciolo, presidenciável que logo nos primeiros debates acusou Ciro Gomes de ser fundador do Foro de São Paulo e de fazer parte da Ursal – seja lá o que isso quer dizer – em um dos momentos mais hilários da eleição, clique para assistir.

 

Ele chamou tanta atenção que até vídeos pós campanhas foram feitos, em um deles, simularam um game muito engraçado, e em época de fake news, capaz de alguém acreditar. Clique e assista.

 

Mas, para mim, uma das melhores coisas desse período foi o rap que fizeram com a fala de Daciolo no monte. Claro, não tem o charme do rap feito com as falas de Temer, mas o do Daciolo foi feito em uma sequência só.

 

1. Candidato preso

Sim, o poço tem um fundo. E nós chegamos a ele. Provavelmente, se você que está lendo é eleitor do Haddad Lula, vai discordar dele encabeçar o “Top 5” dos momentos bizarros, mas reflita comigo e faça-se uma pergunta, esquecendo o caráter ideológico: “É considerado normal ter uma candidatura, cujo cabeça de chapa está preso?”.

 

Quem está preso não pode sequer ir votar (aqueles que tiveram condenação criminal transitada em julgado), mas seria muito estranho se pudesse ser eleito. A estratégia de protelar o anúncio que seria Haddad deu certo, basta ver o primeiro comercial. Chegaram no segundo turno. Assista abaixo.

 

Depois a situação ficou insustentável e tiveram que trocar o candidato mesmo, colocando uma carta narrada por Lula. Falando em carta, vale ver o momento hilário em que Álvaro, durante um debate, pediu para que Haddad entregasse uma para o legítimo candidato, que de tanto visitar o Lula na prisão, aprendeu até a imitá-lo.

 

Claro, essa foi a minha seleção, caso queira, pode sugerir mais momentos no campo dos comentários.

 

Marcelo Vitorino

Professo e consultor de marketing digital e gestão de crise

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!